Atenção Especial à Gestação e ao Puerpério

folder-puerperio

Estima-se que 45% das gestantes e 25% das mulheres no puerpério sofram com dores lombares, dores pélvicas ou a combinação entre ambas. Destas mulheres, 20% apresentam dores por até 3 anos após o parto, o que acarreta prejuízos inestimáveis a vida laboral, social e familiar. Atualmente, sabe-se que as dores lombares e pélvicas na gestação apresentam mecanismos diferentes quando comparados com a população geral e embora possam ser concomitantes, têm sido consideradas entidades mecânicas independentes que devem ser tratadas de formas distintas.

Estima-se que entre a 10 ͣ e a 40 ͣ semana o quadril sustente uma carga de até 3 vezes o valor suportado no início da gestação. A reorganização do eixo corporal e a modificação da dinâmica da contração dos músculos da pelve e da coluna lombar definem padrões de sobrecarga com enormes modificações na marcha e no equilíbrio.

Hoje, tratamentos especiais para gestantes são realizados para a resolução de dores articulares e musculares de forma rápida e objetiva, sem nenhum tipo de risco ao bebe. Os tratamentos musculares possibilitam uma gestação livre de qualquer dor e muitas vezes possibilitam um trabalho de parto eficiente para a ajuda no momento da expulsão.

Mais ainda, as abordagens imediatas no pós-parto e a reprogramação muscular a partir do primeiro mês possibilita a recuperação corporal com rapidez livrando a nova mamãe da fadiga, das dores articulares e das descoordenações, neste período tão importante.

Material informativo com as dúvidas mais frequentes:

folder-gestantes


 


It is estimated that 45% of pregnant women and 25% of postpartum women suffer from back pain, pelvic pain or a combination of both. Of these women, 20% had pain for up to three years after birth, which causes inestimable damage to their professional, social and family life. Currently, it is known that the lumbar and pelvic pain during pregnancy have different mechanisms compared with the general population, though they may be concurrent, they have been considered independent mechanical entities to be treated distincly.

It is estimated that between the 10th and 40th week, the hip supports a load of up to 3 times the supported amount at the beginning of pregnancy. The reorganization of the body axis and the change in the dynamics of contraction of the muscles of the pelvis and lumbar spine, define overload standards with huge changes in gait and in balance.

Today, special treatments for pregnant women are held to solve muscle and joint pain quickly and objectively, without any risk to the baby. Muscle treatments allow a pregnancy free of any pain and often enable an efficient labor, especially at the time of expulsion.

Moreover, the immediate approaches in postpartum and muscle reprogramming from the first month enables the body to recover quickly, freeing the new mom fatigue, joint pain and lack of coordination in this important period.


 Artigos científicos que respaldam nosso trabalho:


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>